Bia

Fernando Antonio Nogueira Pessoa nasceu no dia 13 de junho de 1888, na cidade de Lisboa, em Portugal.
Foi poeta filósofo e escritor. É considerado um dos maiores poetas da Língua Portuguesa e da Literatura Universal.
Aos cinco anos de idade ficou órfão de pai. Aos seis anos, ele escreve seu primeiro poema: “À Minha Querida Mamãe”. Ainda no mesmo ano, sua mãe casa-se novamente e a família muda-se para a África do Sul, onde foi criado e aprendeu perfeitamente a língua inglesa, idioma em que escreveu poesia e prosa desde a adolescência.
Tendo de dividir a atenção da mãe com os filhos do segundo casamento e com o padrasto, Pessoa isola-se, o que lhe proporciona momentos de reflexão.

 
Em 1905, regressa definitivamente a Lisboa, sozinho. Passa a viver com a avó Dionísia e mais duas tias. Em 1906, matricula-se no Curso Superior de Letras, mas o abandona antes de completar o 1º primeiro ano. É nesta época que ele entra em contato com importantes escritores portugueses e interessa-se pela obra de Cesário Verde e pelos sermões do Padre Antonio Vieira.

 
Anos depois, após o falecimento de sua avó, ele inicia sua atividade de crítico literário com o artigo “A Nova Poesia Portuguesa Sociologicamente Considerada”; a que se seguiram: “Reincidindo” e “A Nova Poesia Portuguesa no seu Aspecto Psicológico”, publicadas em 1912 pela revista “A Águia”.
Em 1915 participou da revista literária “Orpheu”, a qual lançou o movimento Modernista em Portugal, causando certo escândalo e algumas controvérsias por seu estilo anarquista. Esta revista publicou apenas dois números, nos quais Pessoa publicou em seu nome com o heterônimo Álvaro de Campos. No segundo número, ele assume a direção da revista, juntamente com Mário de Sá-Carneiro.

 
Em outubro de 1924, juntamente com o artista plástico Ruy Vaz, lançou a revista Athena.
Ao longo de sua vida trabalhou em várias firmas comerciais em Lisboa, como correspondente de língua inglesa e francesa. Foi também empresário, editor, crítico literário, jornalista, comentador político, tradutor, inventor, astrólogo e publicitário, ao mesmo tempo em que produzia sua obra literária em verso e em prosa.
Fernando Pessoa faleceu em 30 de novembro de 1935. Sua morte provavelmente aconteceu em função de seu consumo excessivo de bebidas alcoólicas, uma vez que ele deu entrada no hospital apresentando sintomas de uma cirrose hepática.

 

Principais obras:

  • Livro do Desassossego;
  • Ficções do Interlúdio: Para Além do Outro Oceano;
  • Na Floresta do Alheamento;
  • O Banqueiro Anarquista;
  • O Marinheiro;
  • Por Ele Mesmo;
  • Entre várias poesias.

Vale falar um pouco mais sobre uma de suas principais obras: o Livro do Desassossego

  • A obra é composta por muitos fragmentos, dos quais ele utilizou apenas 12;
  • Seu narrador principal é o semi-heterônimo Bernardo Soares;
  • O livro não apresenta uma narrativa linear
  •  Foi neste livro que Pessoa mais se aproximou do gênero Romance;
  •  Seus temas remetem a um diário íntimo.

“Uma inquietação enorme fazia-me estremecer os gestos mínimos. Tive receio de endoidecer, não de loucura, mas de ali mesmo. O meu corpo era um grito latente. O meu coração batia como se falasse.”

Bibliografia: http://www.wikipedia.org / http://www.suapesquisa.com / http://casafernandopessoa.cm-lisboa.pt